quinta-feira, 14 de maio de 2009

Liverpool

Na foto: prédio que vira do avesso
Acordamos decididas a desbravar a cidade, e para isso contaríamos com a ajuda do super-ônibus vermelho que para nos pontos turísticos da cidade (igual o de Bath). Mapinha na mão e muita coragem para enfrentar um dia cinza. Descendo a rua do Hostel, depois da linda ruína da Igreja Anglicana, grandes e perigosos dragões nos ameacavam: H&M, Mark&Spencer, Next, Primark e outros que não me recordo agora. A luta com os dragões nos atrasou um tanto.
Enquanto buscávamos o nosso tapete mágico, várias coisas bonitas iam aparecendo, predios imensos e austeros, leões em pedra... ... ... "Nosso onibus! Corre, corre...perdemos, perdemos..." Meia hora para esperar o próximo.
E assim seguiu o dia, muito Beatles, prédios, pessoas, divergências entre o meu mapa e o mapa dos pontos dos ônibus nos fizeram perder o sentido de direção e a paciência muitas vezes. Deu tempo de eu tomar um Capuccino e a Greice comer batata frita até que, por derradeiro, conseguimos pegar o bendito. No ônibus, que aqui custa 8 libras, fomos ate a região portuaria, achei de uma beleza solitária, aquele céu sem sol, barquinhos e navios fazendo reflexo na água com a luz da tarde... fotos fotos fotos. Continuando o percurso do bus me surpreendi com um prédio que vira do avesso! Muito legal!
Descemos no burburinho das lojas, já fechando, visitamos mais algumas e voltamos para o hostel.
Será que vamos ter força para sair a noite algum dia? Fiquei com inveja das vozes risonhas e escandalosas que passavam pela minha janela e nós aqui dentro escondidas do frio. Temos que mudar isso!
Alias, o Hostel (International Inn COCOON) aqui é muito bom, a cozinha e ótima, roupa de cama incluída, limpa, tem aquele detalhe do banheiro cronometrado, você tem que parar o que voce esta fazendo e dançar na frente do sensor para a luz acender de novo, detalhes... Mas, vindo para este hostel, fiquem em um quarto nos fundos, o nosso é de frente para a rua, até altas horas, deve ter uma boate perto daqui, ou zona de prostituição, não sei que inferno, todo mundo passa na nossa janela e dá um grito. Pode ser sacanagem também com quem está encolhido de frio.
Ontem eu fui lá na porta fumar um cigarro para ver qual a da gritaria, eu, minha boina e minhas sandálias havaianas brancas com meias pretas. Realmente eram pessoas passando, falando muuuuito alto, deve ser cultural, algumas, principalmente mulheres, tomando alguma droga que eu ainda vou descobrir o nome, que as permitiam sair com vestidos microscópicos de costas nuas. Mochilão também é observar pessoas...rsrs. Da porta do hostel eram apenas pessoas levemente embriagadas conversando MUITO alto, gritando e gargalhando. Do meu quarto são tantas vozes em tantas línguas que parece um exorcismo, juro por deus.
Vamos seguir viagem hoje, eu sempre acordo muito cedo e quando dá escrevo nesse tempinho, está frio e esta chovendo lá fora...

2 comentários:

  1. Tô adorando...!!!É muito legal sua narrativa.Continue.......Bjoss

    ResponderExcluir